Contador e o Imposto de Renda

Mais um texto readaptado para publicar no Blog Edmilson de Paula.

O Contador e o Imposto de Renda.

No Jornal Contábil, com a divulgação por meio do CRCSP ON LINE, de 23 de fevereiro de 2017, Ano 08, nº 417, foi recebido através de mensagem eletrônica a respeito da temática “Três Motivos para Contratar um Contador para o Imposto de Renda”. A temática mencionada, faz a valorização do profissional da contabilidade quanto o preenchimento das informações fornecidas pelas pessoas físicas, para transmitir ao fisco tributário o Imposto de Renda das Pessoas Físicas.

Tendo em vista que, o Blog Edmilson de Paula, busca dar importância à ciência contábil e a valorização dos profissionais da contabilidade nas entidades públicas, reproduzimos o presente texto para alcançar tal propósito. Ou seja, que as pessoas físicas de maneira geral, com ou sem a obrigatoriedade para o Imposto de Renda, procurem contador para o preenchimento da declaração de imposto de renda.

Vamos ao texto.

CRCSP ONLINE – INFORMATIVO SEMANAL

23 de fevereiro de 2017, Ano 08 – nº 417

Por Dentro da Contabilidade

Três Motivos para Contratar um Contador para o Imposto de Renda

Esclarecer dúvidas, evitar malha fina e trabalhar com segurança

A Declaração de Imposto de Renda deve ser apresentada anualmente. Frequentemente, os contribuintes ficam na dúvida se devem contratar um especialista para auxiliar nessa questão.

Quais os motivos para contratar um contador para o Imposto de Renda? Continue acompanhando e saiba quais são eles.

Esclarecer Dúvidas

O preenchimento da declaração anual sempre gera diversas dúvidas para o contribuinte, tanto sobre o que deve ser declarado, quanto sobre a forma correta de preenchimento. As dúvidas podem aumentar em casos de alienação ou aquisição de bens durante o ano, de resgate de aplicações no mercado financeiro ou em fundos de previdência, de movimentações financeiras no exterior ou tantas outras situações que fazem parte de nosso dia a dia, mas que podem dar trabalho na hora de elaborar sua declaração de imposto de renda. Neste momento, a experiência de um bom contador será muito valor.

Evitar a “malha fina”

Como dissemos acima, é natural que dúvidas surjam durante o preenchimento da declaração, principalmente no caso de declarações que são mais complexas. Como aquelas que envolvem diferentes fontes de renda, muitos dependentes e aplicações financeiras, por exemplo.

Como a declaração de pessoa física é bem complexa, existem casos de pessoas que acabaram caindo na “malha fina” apenas pela falta de conhecimento. Não pela intenção de burlar o fisco.

O Portal da profissão contábil – CONTÁBEIS, conceitua malha fina como sendo a revisão da declaração de ajuste anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física pela qual são efetuadas verificações nos dados informados pelo contribuinte. O termo malha fina é uma abstração ao processo de verificação de inconsistências da declaração do imposto de renda, física e jurídica, age como uma espécie de “peneira”, para os processos de declarações que estão com alguma pendência, impossibilitando a sua restituição, e em alguns casos resultando investigação mais aprofundada sobre o contribuinte declarador por parte da Receita Federal.

Mais Segurança

Escolhas que a princípio parecem tranquilas, como “qual modelo de declaração é melhor: simples ou completo?’ podem ter impacto no valor que você tem a pagar ou que tem direito a restituir do fisco. Exatamente por isto, obter o auxílio de um contador para o Imposto de Renda em virtude do conhecimento que esse profissional possui a respeito das particularidades que cada situação requer, aumenta a segurança e ajuda evitar a temida malha fina.

Responsabilidade do Contador para o Imposto de Renda

Contratar Contador para o Imposto de Renda, mesmo para as declarações simplificadas, é a melhor opção que os contribuintes podem fazer para garantir que o envio dos dados será feita da forma correta. Contudo, vale ressaltar que a veracidade dos dados informados não é de responsabilidade desse especialista. Ele orienta a respeito da forma correta de preencher a declaração, mas a veracidade das informações é uma responsabilidade do contribuinte.

Fonte: Jornal Contábil

Edmilson Antônio de Paula

É contador no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, campus Barretos.

É Bacharel em Ciências Contábeis e Pós-graduado em nível de especialização na Contabilidade Pública e Responsabilidade Fiscal.